Quando Deus nos dá a fé verdadeira e passamos a viver na certeza de que temos um Deus gracioso em Cristo, estamos no paraíso. Agora, quando menos esperamos, a coisa pode mudar de figura, e somos abalados a ponto de pensar que sua intenção (a de Deus) é arrancar o Senhor dos nossos corações. Nesse momento, Cristo fica oculto aos nossos olhos, a ponto de não termos nele conforto algum, pois, o diabo introduz em nossa alma os mais terríveis pensamentos a respeito de Cristo

Assim, nossa consciência sente que perdeu a Cristo, e passa, então, a debater-se e a desanimar, como se tudo o que nos estivesse reservado fosse ira e castigo de Deus, que merecemos por causa de nossos pecados. Sim, mesmo que não estejamos conscientes de pecados manifestos, o diabo pode muito bem transformar em pecado, aquilo que não é. Desse modo, ataca e atemoriza o nosso coração, martirizando-o com pensamentos como este: quem pode dizer que Deus quer ter você a seu lado ou se, quer dar-lhe Cristo?


Esta é, sem dúvida, a mais terrível e a pior das tentações que Deus envia para pôr à prova seus santos. Numa situação dessas, tudo que a pessoa sente é que Deus a abandonou com sua graça e não a quer mais, e, para onde quer que olhe, nada vê senão ira e terror. Nem todos passam por tentações terríveis como essas, e só consegue entendê-las, aquele que se encontra no meio delas. Só os mais fortes conseguem resistir a golpes dessa natureza.

“Laços de morte me cercaram, e angústias do inferno se apoderaram de mim: caí em tribulação e tristeza. Então invoquei o nome do Senhor: Ó Senhor, livra-me a alma”. (Salmos 116.3-4)