Seja bem-vindo ao site Casa de Davi. Você poderá conhecer as ideias gerais como princípios norteadores do pensamento. Cadastre-se e tenha acesso à área restrita. Acompanhe o desenvolvimento de estudos mais aprofundados sobre vários temas de interesse da consciência universal.

O eterno Deus de Israel e a Criação

Único e verdadeiro Deus de todos os homens, criador e mantenedor do Universo visível e das dimensões invisíveis, denominados céus. É o Deus que se revelou a Abraão, Isaque e Jacó, o Deus de Moisés, de Davi, dos profetas e de Jesus, o Cristo. É quem gerou todas as almas, criadas para a vida universal. A Criação é a execução de uma grandiosa obra, concebida na intimidade do Eterno e executada a partir do que se conhece por Big Bang, evento que, segundo a ciência, deu início ao Universo cerca de 14 bilhões de anos atrás. Antes desse tempo, existia apenas o Ser Eterno. A Sua lei é a estrutura básica do Universo. É o que move a Criação inteira, o que se conhece pelo Grande Amor de Deus que permeia todas as coisas. Voltar …

O filho unigênito de Deus, o Verbo

O início da Criação é nebuloso para a ciência e para a religião. Os primeiros versículos das Sagradas Escrituras tratam deste aspecto: “No princípio criou Deus os céus e a terra”. A palavra “princípio” em hebraico é bereshit, composta pelo be (preposição) e reshit (palavra usada para expressar princípio, primícias, o que vem primeiro). A preposição hebraica be significa em, por e com, dependendo do contexto. Traduzindo a palavra be como por e reshit como “princípio”, a palavra bereshit também pode significar “pelo princípio”, referindo-se ao Verbo de Deus, o que vem primeiro, o princípio de tudo. Nesse caso, a compreensão do primeiro versículo do livro Gênesis seria: Pelo Verbo, Deus criou todas as coisas, dando sentido ao ensinamento sobre o início de tudo, considerando o Verbo como o princípio, o Filho Unigênito, o primeiro criado. O evangelho de João confirma esse pensamento: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus” (João 1.1). Veja que não se refere a Jesus, o Cristo. …

Componentes básicos do Universo

O Verbo (ou Logos) foi o primeiro ser que surgiu a partir do Eterno, por isso chamado Filho Unigênito ou Cordeiro, assim como foi o primeiro que recebeu a Ressurreição. O Universo, como o conhecemos, se exterioriza através desse Unigênito. Ele é o princípio de tudo. Em uma fórmula simples, há três componentes básicos na Criação: a Eternidade, que é o próprio Deus Absoluto, a Morte (rompimento da Eternidade) e a Ressurreição, que é o retorno da vida eterna ao que a perdeu. Nesses três componentes se move toda a Criação, em um mecanismo dinâmico que se repete em todo o Universo criado. Vida, Morte e Ressurreição são os grandes mistérios que impressionaram os homens em todos os tempos, cujos questionamentos geraram religiões, doutrinas e dogmas que, em alguns casos, escravizaram consciências durante milênios. Nos dias atuais, os homens têm condições intelectuais para buscar o entendimento inteligente e racional da obra do Altíssimo. …

A origem do mal: Satanás é obra dos homens

Segundo o relato do capítulo 3 do livro Gênesis, no ambiente do Éden bíblico, há uma serpente dialogando com Eva, sobre comer ou não o fruto do conhecimento. Nesse momento da Criação, as almas ainda estavam no estado virgem, ou seja, sem consciência de suas individualidades. No desenvolver da história, contada nas Escrituras, a figura da serpente toma outras nuanças, e vai sendo fortalecida, até se manifestar nos tempos de Jesus, como Satanás, o príncipe do mundo. Mais tarde, no desenvolvimento da teologia cristã, os teólogos criaram uma horrenda e ameaçadora figura, com rabo, chifres e tridente, como representação do diabo. A menos que se acredite em fadas, duendes e outras fantasias do imaginário das crianças, certamente há de ter outra explicação para o fato de haver uma serpente no paraíso bíblico. Satanás nada mais é do que o espírito das obras dos homens, ao longo de toda a história desta humanidade. …

As almas e seu trânsito pela história do mundo

A alma é imaterial e eterna, tendo nascido do sopro do próprio Criador. Transita pela história do mundo, no cumprimento de um grande propósito, elaborado por Deus e ainda desconhecido pelos homens. Nasce com todas as prerrogativas do Eterno, sendo ela fragmentação do próprio Verbo, essência de Deus. Quando é lançada para a experiência do despertar, perdendo o Paraíso, na simbologia bíblica, ela mergulha na escuridão consciencial, como se perdesse temporariamente seus sentidos. Ao nascer na carne, a alma traz consigo a marca da morte, o contraponto da vida, chamada erroneamente pela teologia tradicional de pecado original. Nos primeiros tempos da existência da alma no corpo físico, sua experiência é dominada pelos interesses terrenos, consequência da ignorância acerca de sua natureza eterna e do ambiente primitivo onde existe. Mais tarde, na experiência do despertar para a sua condição de filhos de Deus, o progresso a fará perceber a natureza divina, latente em sua intimidade. Toda a história que se desenvolve na Bíblia trata-se do trânsito de um mesmo grupo de almas, fazendo cumprir um plano Divino. Voltar …

As almas são deuses vivendo na Terra

O Ser Supremo está em tudo o que existe. As almas, como habitantes do Universo, são fragmentos de Deus, fulgurações do Verbo Divino. Por isso já nascem perfeitas, mas não despertas. Elas nascem com o Universo, a majestosa obra do Eterno, para que possam habitá-lo e, por elas, o futuro seja construído. Deus tudo realiza através de seus filhos, desenvolvendo o projeto divino para construção da vida individual e coletiva. É de comum entendimento que os homens são os seres inteligentes da Criação, almas revestidas de um corpo físico, concebidas para viverem na dimensão visível, onde a obra de Deus é, paulatinamente, executada e transformada. São deuses, filhos do Altíssimo, no dizer do Salmo 82. Deixaram os céus para iniciar sua jornada existencial na face visível da Criação. Ele dá às almas uma consciência da existência individualizada, separada Dele, e seguem por bilhões de anos do tempo material, até que compreendam que são um só, a partir da comunhão com a mente do Altíssimo, ou seja, são deuses vivendo na Terra. Voltar voltar …

A promessa de Deus ao seu Povo

No livro Gênesis, Deus fez uma promessa a Abraão, Isaque e Jacó, de que faria de sua descendência uma grande nação. A finalidade seria a de que ela viesse guiar a futura humanidade nos caminhos da Verdade. Embora separados por diversas razões, judeus e cristãos têm, entre eles, os filhos dessa promessa. A promessa de que o Povo encontraria a terra, com abundância de leite e mel, não se cumpriu até agora. Os hebreus e, posteriormente os judeus, se dispersaram pelo mundo, conforme foi anunciado por Moisés e os profetas. A promessa, então, não era verdadeira? Certamente que sim. Se ainda não se cumpriu, deve ter uma razão. O que salta da reflexão sobre os Escritos Sagrados, é que a terra prometida é a Nova Jerusalém, uma civilização a ser construída pelos filhos de Deus, em comunhão com a mente Divina. A promessa é verdadeira e se cumprirá. Em tempo oportuno, tanto a casa dos judeus, quanto a  dos cristãos, serão esclarecidas acerca dos próprios enganos e, diante dos eventos apocalípticos, que em breve devem vir sobre o mundo, finalmente se tornarão um só Povo. Voltar voltar aos Princípios You must be logged …

Salvação é o começo da história da alma com Deus

A descida e ascensão da alma na Criação, é o ponto alto do entendimento da grande salvação que há em Deus. A partir de seu despertar, a alma passa a viver ansiando por essa salvação e por ela clama todos os dias, como o fazia o rei Davi. A salvação é o despertar da alma para retomada e posse da eternidade perdida, quando ela saiu do seio do Criador. A alma, quando desperta, toma consciência de sua eternidade, ou seja, sabe quem é, de onde vem e para onde vai, depois que cessar o tempo de sua vida terrena. A Salvação é o começo da história consciente da alma rumo à Luz Divina, e não o final da história, como pregam as doutrinas das igrejas cristãs. A salvação vem dos judeus, afirmou Jesus, pois eles são os filhos da Promessa, remanescentes da família preparada por Deus, para ser luz das nações, sal da Terra. Jesus, o filho de Davi, faz parte da Promessa do Eterno, como primogênito dessa família, para iniciar uma história de paz entre o Povo e no mundo. Governará judeus, cristãos e todas as nações que reconhecerem o Deus de Israel, como único Senhor. …

Salvação antes do Cristo

Sendo Jesus, o Messias, responsável pela salvação das almas deste mundo, e tendo Ele vivido entre os homens há dois mil anos, como se explica a salvação dos servos de Deus, que vieram antes dele? O capítulo 11 do livro aos Hebreus resume essa realidade, relatando os testemunhos de fé, de Abel a Davi e os profetas. Haveria salvação antes de Cristo? Tudo indica que sim. Seria sensato afirmar que Deus confiaria tão grave tarefa a homens sem laços com Ele? José, o impressionante exemplo de superação pela fé, de que se tem notícia, Moisés, o servo mais manso de Deus, a quem foi entregue a missão mais difícil, atestada na história dos hebreus, Samuel, o profeta que ungiu o rei de onde sairia a linhagem do Salvador e Davi, Salomão, Isaías, Jeremias e outros tantos que deram suas vidas no exercício de missões, como enviados de Deus não estariam salvos? Somente uma doutrina saída dos escuros dogmas religiosos pode negar tal princípio. Sim, havia salvação antes do advento do Cristo. Voltar voltar aos Princípios You must be logged …

A cruz de cada um

Considerando o mover das almas pela história, no que toca ao renascimento sucessivo, elas arrastam consigo o seu passado. Não como lei absoluta, porque muitos atos insanos que a alma cometeu, fazem parte da realidade na qual estava vivendo. A situação se agrava, porém, à medida que a realidade se desenvolve, já que, por causa da consciência e conhecimento do que é certo e errado, as transgressões passam a ser consideradas graves. O fato da alma nascer de novo não zera sua conta, em relação ao que viveu anteriormente. Ela carrega consigo o que sempre foi, sendo alimentada por seu espírito, resultado dessas mesmas obras. Em uma nova existência reveste-se de outra tarefa, mas, na intimidade, sua natureza é mesma de sempre. Isso que dizer que não se pode advogar a causa de que as pessoas sejam iguais, ou que ajam como esperam as religiões. Sendo assim, cada alma tem seu arsenal de pecados, problemas e dificuldades, vividos e construídos ao longo de sua trajetória, que serão superados com a ajuda de Deus. A isso, Jesus chamou de “cruz”. Cada um carregue a própria cruz, ou seja, cada um se conscientize de quem realmente é. Voltar Voltar You must be logged in to view this content.

A Casa de Davi e o Reino Eterno

“Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor!”. Este foi o brado de Moisés para o povo que conduzia pelo deserto, cumprindo determinação do próprio Deus. Passados mais de três mil anos deste acontecimento o grito do profeta permanece vivo, atual e necessário, chamando o Povo de Deus para uma realidade desconhecida da maior parte do rebanho. As Escrituras Sagradas contam a história desse Povo, que vem sendo conduzido pelo seu Deus para um maravilhoso propósito e destino glorioso, ainda não compreendido. O Povo que iniciou sua jornada com Abraão, se multiplicou no Egito, foi liberto da escravidão por Moisés, lutou por sua união com Davi, foi punido na Babilônia, socorrido por Jesus Cristo e, finalmente, chega a um ponto dessa rica trajetória, na qual busca sua definitiva comunhão com o Eterno. A Casa de Davi, com quem o Senhor fez um pacto eterno, é a casa do Cristo universal. Voltar …

Jesus, o Messias, primogênito da Casa de Jacó

Jesus não é Deus. É o Messias, líder do Povo escolhido, o Israel bíblico, desde o princípio da história. É o primogênito entre os irmãos, o Filho de Davi, segundo descendência carnal, por filiação natural de José e Maria. É o portador do Verbo Divino (o Logos) nesse mundo, luz para as nações, fundamento da futura unidade entre os judeus e cristãos, tendo como missão a implantação do Reino Eterno na Terra. Não deve ser confundido com o Unigênito de Deus, o Verbo. Tendo sido escolhido para ser o responsável por este mundo até sua alforria, e certamente não estando encerrado em um corpo físico, Jesus participou e liderou o desenrolar de todos os acontecimentos históricos que envolveram o Povo, de que tratam as Sagradas Escrituras. A Ele se dirigia Davi, quando o rei, no Salmo 110, afirmou: “Disse o Senhor ao meu Senhor”, ou seja, disse o Senhor Deus ao Senhor Jesus, o Cristo. Da mesma forma, quando se dirigiu aos incrédulos judeus no fatídico diálogo sobre Deus e o diabo, a vida e a morte, afirmando que já existia antes de Abraão, confirma a preexistência de sua alma e missão de que estava investido. Por Ele as almas são salvas porque é quem promove a Salvação, estando onde estiver, no tempo e fora …

Vida Eterna

A vida eterna prometida nos Escritos Sagrados é a posse da eternidade dada aos que despertam para a condição de filhos do Altíssimo, que saem da situação de trevas para a Luz. Nas palavras do Cristo, a vida eterna se constitui em que a alma conheça o único e verdadeiro Deus, e ao que foi enviado, o Messias, como Senhor. Na Bíblia Hebraica, no capítulo 3, verso 22 do livro Gênesis, é dito com clareza que a vontade do Criador é que o homem coma da árvore da vida e viva eternamente. A vida eterna, portanto, é o despertar para a sua condição de almas saídas de Deus, de posse de sua eternidade, para viverem na Terra, lugar de morada dos filhos do Altíssimo. A vida eterna, ou seja, a condição de eternidade das almas e comunhão com Deus, é vivida na dimensão visível da Criação. O céu e o inferno estão dentro da intimidade de cada um, no dizer de Davi, segundo tenham ou não comunhão com a luz de Deus. Voltar voltar aos …

Restauração do Templo de Salomão

Todas as almas do Povo Israel são templos do Deus vivo, pois portam a preciosa semente da verdade eterna. A restauração do templo de Jerusalém, uma das esperanças dos judeus, representa a unificação do Povo, as 12 tribos de Israel, constituídas por almas dispersas nas nações. Atualmente, estão sendo convocadas por Deus, entre judeus e cristãos de todo o mundo, tendo em vista a chegada do Reino e dos graves eventos que os homens da Verdade terão de enfrentar durante a Grande Tribulação. São almas das antigas tribos de Israel, vivendo nos países como famílias judias e cristãs. No final dos tempos, estarão reunidas como a grande nação de onde sairão conselhos e diretrizes para a vida dos povos, convertidos ao Eterno. Entretanto, nem todo judeu e nem todo cristão se constitui como parte desse Povo escolhido, mas somente os que tiverem comunhão com o Deus de Israel, em espírito e em verdade. O templo será reconstruído e Jerusalém será restaurada, conforme as promessas. …

Os gentios enxertados na Oliveira Santa

Os gentios convertidos a Deus são os cristãos dos dias atuais. Católicos, evangélicos e protestantes têm entre eles almas que fazem parte das tribos de Israel, dispersas no mundo pela diáspora. Puderam ser enxertadas na Oliveira Santa, pelo trabalho missionário de Paulo, tornando-se, assim, membros do Povo escolhido, sendo também descendentes dos Patriarcas. Esta descendência não é carnal, mas, segundo o Espírito. Pela via da fé, todos os homens podem se tornar filhos de Abraão, independente da descendência biológica. A maioria dos cristãos dos dias atuais está envolvida com o mundo ou doutrinas inconsistentes. Poucos conhecem a profundidade dos Escritos Sagrados e das promessas do Eterno Deus de Israel. …

O Fim do Mundo

Nos próximos anos a Terra passará por uma crise sem precedentes. Sofrerá uma grande transformação, morrendo o velho mundo de conceitos terrenos, para o nascimento de uma era de consciência cósmica universal, tendo como alicerce o conhecimento da Ciência de Deus. A reconstrução da vida dos homens, depois do Apocalipse, será semelhante ao que aconteceu com Jerusalém, no período pós-babilônico, quando cessou a escravidão de Judá. Os homens passarão por muitas dificuldades, mas para que se estabeleça uma definitiva alegria para todos. O Juízo final é a definitiva revolução promovida por Deus, nos céus e na terra, tendo em vista a futura civilização. O Povo de Deus tem uma grave tarefa a desempenhar nesse grande acontecimento, que mudará profundamente a realidade atual. …

A Nova Jerusalém, a futura humanidade

O paraíso será na Terra, evidentemente. Está muito perto de se concretizar as profecias, com a falência do sistema humano, em todos os seus aspectos, e o estabelecimento de uma vida diferente de tudo o que já se viu. Havendo um Apocalipse, ficará entendido em todo o mundo, que a vida fora dos parâmetros naturais, especificados pelo Criador, não poderá subsistir em nenhuma circunstância. As mudanças advindas da grande hecatombe apocalíptica, serão inevitáveis. Nada será como antes, afinal, as bases que sustentam o mundo atual, serão derrubadas. O edifício ruirá e, sobre ele, será edificada uma nova casa. Uma inovadora forma de governo, sem dúvida, emergirá naturalmente. Em todas as nações do planeta a vida se fundamentará na lei maior, revelada pelas Escrituras, com a máxima: amor ao Deus de Israel e ao próximo como a si mesmo. Os sistemas humanos, políticos e sociais, que regem a vida, serão gradualmente substituídos por uma nova e justa maneira de viver, promovida em todas as nações, sob a luz do Eterno e de seu Povo. Voltar voltar …