Blog Meu Povo - Cristãos e Judeus - Unificação - Ciência Eterna

Ir para o conteúdo

O amor de muitos esfriará

Cristãos e Judeus - Unificação - Ciência Eterna
Publicado por em Fim do Mundo ·
O Sermão Profético de Jesus é o mais importante documento sobre escatologia, a ciência que estuda os eventos relacionados com o fim do mundo. Todos os crentes devem procurar conhecê-lo, pois muitas coisas que estão escritas nessa passagem têm a ver com cada homem e mulher.  Os dias estão se tornando trabalhosos e se não nos prepararmos para enfrentá-los, a fé poderá nos fugir do coração, diante dos tormentos que vêm sobre a humanidade.

No dia-a-dia da igreja, mais se cultua a Deus do que se procura entendê-Lo. Este é um problema antigo dos religiosos. Desde os primeiros séculos, os crentes foram afastados da condição de opinar ou investigar as coisas de Deus. E este espírito, mesmo depois da Reforma Protestante, continua nas igrejas cristãs evangélicas. O homem crente sabe pouca, ou coisa alguma de quem ele é, do que faz no mundo e do que o espera além da sepultura. É justamente por desconhecer seu futuro como filho de Deus, que sua fé fraqueja diante das provas, tribulações e da morte. Vós sois deuses, dizem as Escrituras, mas pouca gente sabe disso!

É possível mudar este estado de coisas? Sim, mas não tenhamos esperanças, de que multidões se interessarão em descobrir os mistérios de Deus. A maioria vai à igreja por simples conveniência consciencial, ou para encontrar apoio nas lutas da vida temporal. Ao iniciar o Sermão Profético, Jesus recomenda cautela. E por quê? Porque enganarão a muitos, disse o Senhor. Mas onde serão enganados? Nas ruas? Nos bares? Nos palácios? Não. Eles serão enganados nas igrejas e, por isso, é preciso ficar de olhos bem abertos. Hoje, há diversas teorias falsas a respeito do fim do mundo. E o pior disso, é que muitos crentes, devido sua simplicidade de coração, aceitam esses ensinamentos como verdadeiros. Basta compreender o básico das Escrituras, para ver que essas teses são obras de espíritos enganadores. Tome a tua Bíblia e consulte o Evangelho segundo Mateus, capítulo 24, por inteiro.

Guerras, rumores de guerras, fomes, pestes e terremotos. Eis o princípio das dores, disse Jesus. Ainda não é o fim, mas ele virá. A seguir, a Palavra diz que seremos odiados por todas as nações, por causa do Seu nome. Muitos serão escandalizados; trair-se-ão e odiarão uns aos outros, porém, quem perseverar até o fim, será salvo. Alguns estudiosos interpretaram o capítulo 24 de Mateus, como narrativa relacionada com a destruição do templo de Jerusalém, no ano 70. O texto, no entanto, mostra que o Senhor falava de um evento futuro, que transformaria o mundo na morada dos escolhidos, o Povo Santo de Deus. Afirmou que todas as tribos e nações se lamentariam diante da Sua gloriosa vinda. Tais coisas, ainda não aconteceram, mas há sinais preocupantes que parecem indicar a Sua vinda em tempo próximo.

O Povo de Deus está preparado para um evento de tal magnitude? Será que basta acreditar que seremos arrebatados, que o Senhor Jesus vai nos tirar do mundo quando as coisas ficarem descontroladas? A resposta parece ser não. No Sermão Profético não há nenhum indício de que sairemos voando pelo espaço. Ao contrário, as palavras do Filho de Deus apontam para o sofrimento do Povo Santo, antes de se estabelecer o Reino (que é celestial e terreno).  As nações serão julgadas; os bodes, separados das ovelhas. A separação se dará nas famílias, no trabalho e em todos os lugares. Um será tomado por Deus e outro, será tomado pelo inimigo. “Tomado” é uma expressão que não deve ser lida no sentido levar para si, mas de possuir, de possessão. Deus vai tomar posse do Seu Povo e Satanás possuirá o que for seu. A separação será radical e se formarão dois lados antagônicos. Paulo, o apóstolo, dizia que uma operação do erro estava em curso no mundo, para que fossem arrastados pelo mal, aqueles que tivessem comunhão com ele.

Ao final do capítulo 24, o Senhor pergunta: Quem é o servo fiel e prudente, que foi constituído por Deus, para na Sua casa distribuir alimento? Somos nós, irmãos. Enquanto esperamos o fim das coisas, temos de seguir distribuindo o alimento, que é a Palavra de Deus e ações de graça. Quem for servo invigilante, vai ser separado dos bons e o seu prêmio será viver com os hipócritas. Haverá pranto e ranger de dentes. E o que estamos fazendo na igreja? Somos participantes do Evangelho, ou vamos aos templos apenas para pedir quinquilharias da vida terrena? Isso precisa mudar.

Que o Espírito Santo abra os nossos olhos e nos constitua em servos e servas fieis ao Altíssimo. Não importa a igreja que você pertence. O chamado é para o Povo de Deus, cujos interesses estão acima de qualquer denominação ou placa de igreja. O campo é o mundo. O Semeador saiu a semear. O que você está esperando para espalhar a Boa Nova do Reino? Vamos pregar Jesus Cristo, a salvação, a imortalidade e eternidade da alma; dizer a todos, que em breve Ele voltará e que é necessário se revestir da roupagem celestial. Arrependam-se de seus pecados, da falta de fé e procurem o Salvador, enquanto é tempo.

Não podemos nos assustar com a confusão que está se formando no mundo. Violência, insegurança, afrontas, luxúria, prostituição, disputas e perversões; todas essas coisas vão fazer parte da rotina, até que venha o fim. O poder do mundo e do seu príncipe (Satanás) está se engrandecendo. Mas não para a vitória. Ele já está condenado, por causa das suas obras malignas. Um germe invisível está corroendo a humanidade. É o germe do egoísmo, o pai de todas as desgraças. A força do egoísmo e da vaidade é o diabo. Por isso, o amor de muitos se esfriará. Vivamos em esperança, porque disse o Senhor: “Todos os que perseverarem até o fim serão salvos”. Que o Espírito Santo nos ajude a nos comportar como Povo de Deus e a enfrentar com coragem todos os desafios que ainda temos pela frente.

"Porque naqueles dias haverá uma aflição tal, qual nunca houve desde o princípio da criação, que Deus criou, até agora, nem jamais haverá." - (Marcos 13.19)



Sem comentários


Segunda a Sextas-Feiras
das 9 às 17 horas.
Fone: (17) 32258229
Segunda a Sextas-Feiras
das 9 às 17 horas.
Fone: (17) 32258229
Fone: (17) 32258229
Segunda a Sextas-Feiras
das 9 às 17 horas.
Fone:
(17) 32258229
Segunda a Sextas-Feiras
das 9 às 17 horas.
Voltar para o conteúdo