Blog Meu Povo - Cristãos e Judeus - Unificação - Ciência Eterna

Unificação da Casa de Israel
(Ezequiel 37.21)
Ir para o conteúdo

A ordem de Deus

Cristãos e Judeus - Unificação - Ciência Eterna
Publicado por em Meu Povo ·
É consenso entre teólogos, estudiosos e interessados nas Sagradas Escrituras que este livro relata a história de um povo separado por Deus para um propósito específico. O que não é consenso é que Deus revela esse propósito progressivamente e, do mesmo modo, Ele se revela também progressivamente, dentro das limitações e circunstâncias do tempo e das almas.  É preciso compreender que as Escrituras não é um livro que fala sobre Deus, mas sim que Deus fala através das Escrituras. Sendo essa afirmativa verdadeira, a relação do crente com o Livro Sagrado precisa ser de muita gravidade, pois trata-se da decisão de ouvir ou não ouvir o próprio Deus.

Desde os primeiros tempos, quando o povo habitava em tendas no deserto, Deus se revelou a Moisés acerca do que seria para os Seus filhos a Sua Soberana Vontade. E o fez de forma inequívoca. Acontece que, quase todas as pessoas que dizem ter um relacionamento com Deus através de suas religiões, consideram que fazem a vontade do Criador. Afirmam sempre que Deus está à frente de suas vidas e que todos os eventos, bons ou ruins, que acontecem ocorrem pela vontade de Deus. É evidente que todas as coisas estão sob o controle do Eterno e nada existe que não seja pelo influxo do Poder Soberano. Porém, é necessário refletir sobre o que está escrito como orientação no Livro Sagrado, para que se tenha mais clareza acerca da direção que o Povo Santo deu e continua dando à sua vida.

O Criador ordenou que o Povo vivesse segundo as suas palavras, que ouvisse seus mandamentos, estatutos e juízos. E também que esses ensinamentos, estando no coração, deveriam fazer parte de suas vidas cotidianas, de seus afazeres, de suas atitudes e pensamentos. E teriam também de estar dentro de suas casas, como marcas de identificação de um Povo, estabelecendo uma forma de viver diferente dos outros povos, tendo o Espírito Santo de Deus, como “frontais entre os olhos”, ou seja, um Povo que não enxerga somente com os olhos do corpo, mas que ele, o Povo, seja dotado de outra visão, a visão espiritual da vida e da Criação. Também ordenou Deus que seus ensinamentos e seus feitos no meio do Povo fossem passados de pais para filhos, ou seja, os pais teriam o dever de ensinar os caminhos de Deus para sua família, com todas as suas consequências.

As perguntas indubitáveis são: o Povo ouviu a ordem de seu Deus? Fez a Sua Vontade? Seguiu suas orientações? Amou o seu Deus de todo o coração, alma e forças? A resposta está nas Escrituras e na própria vida do Povo que está no mundo atualmente. O Povo de Deus se desviou do seu Senhor, caminhou na escuridão por muitos séculos, sofreu humilhações e castigos, não deu ouvidos aos servos do Altíssimo, os profetas, que eram enviados para o socorro, nem mesmo ao Seu próprio Filho, Jesus Cristo, colocado no madeiro pelos que se consideravam justos. E continua cativo do espírito do mundo. Como diz o profeta Daniel: “Apesar disso, não suplicamos à face do Senhor nosso Deus para nos convertermos das nossas iniquidades, e para nos aplicarmos à tua verdade”.

O Povo Escolhido prometeu seguir o seu Deus desde os tempos antigos. Quando Josué assumiu a liderança, após a partida de Moisés, ele lembra o Povo acerca das consequências da infidelidade: “Se deixardes ao Senhor e servirdes a deuses estranhos, então ele se tornará, e vos fará mal, e vos consumirá, depois de ter feito o bem”. Disse o povo a Josué: “Não, antes ao Senhor serviremos”. Então, Josué diz ao povo: “Sois testemunhas contra vós mesmos de que escolhestes ao Senhor para o servir”. Eis que novamente o Altíssimo faz soar a trombeta, chamando seu povo aos compromissos assumidos e não cumpridos, desde os dias de Moisés até os dias de hoje.

É tempo de graves decisões. É tempo de retornar à casa de Deus, para herdar a terra onde manam leite e mel, conforme a Promessa. Herdarão os que acordarem do sono letárgico causado pelas doutrinas de homens e se prostrarem sinceramente diante do Senhor, sem as vestimentas falsas das religiões. Permanecerão na escuridão e com suas consciências cauterizadas os que continuarem com a aparência do bem, mas sem a eficácia dele, conforme afirma o apóstolo Paulo.

“Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás, pois, o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças. E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te. Também as atarás por sinal na tua mão, e te serão por frontais entre os teus olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas” (Deuteronômio 6.3-9).

Referências bíblicas: Josué 24.20-22; Deuteronômio 6.3-9; Timóteo 3.5



Ciência Eterna
Voltar para o conteúdo