Inferno - Cristãos e Judeus - Unificação - Ciência Eterna

Unificação da Casa de Israel
(Ezequiel 37.21)
Ir para o conteúdo

Inferno

PRINCÍPIOS
INFERNO
O inferno é lugar invisível aos olhos humanos onde estacionam, por certo tempo, as almas transgressoras, e recebem castigo pela desobediência e revolta contra o Criador e suas leis. Pode-se afirmar que se trata de um lugar de suplício, mas também de correção e reflexões diante dos pecados. É o que se entende das palavras do Cristo, quando ensina pela parábola “O rico e Lázaro”. O homem rico, depois da morte física, viu-se nas regiões infernais por não se importar com o mendigo Lázaro, que jazia à porta de sua casa, cheio de feridas. No inferno, o rico estava bem vivo, de posse de sua consciência e lembranças. Sofre, pede socorro a Abraão e faz reflexões acerca da vida de indiferença e egoísmo que teve em sua última passagem terrena.

“O rico e Lázaro” é uma parábola que põe fim ao dogma, criado pela teologia clássica cristã, de que a alma, depois da morte física, ficaria dormindo aguardando o Juízo, conceito que não encontra nenhuma coerência com os Ensinos Sagrados. A alma perde sua consciência logo que o corpo morre, como se adormecesse, mas a seguir, desperta na outra face da Criação, indo para um local de alegrias ou de sofrimentos, conforme as obras que tenha feito, por sua fé ou falta de fé no Eterno Deus.

A existência do inferno é de natureza relativa e sua destruição testificada nas Escrituras Cristãs, no período do Apocalipse. O inferno não pode ser eterno, pois, somente o Criador possui a Eternidade Absoluta. Se o inferno não é eterno, as almas que vão para esse lugar não ficarão lá para sempre. Depois de um incerto período no inferno, a alma o deixará, para ser submetida a nova existência física (encarnação), onde retomará a caminhada em direção à Luz, agora com a consciência marcada pelos sofrimentos nesse local de suplícios.

O inferno Eterno é uma absurda tese a que não se deve dar ouvidos. É incompatível com a bondade, misericórdia e eternidade do Deus de Israel. Somos homens maus e sabemos perdoar os nossos filhos por coisas erradas que fazem. Por que razão o Pai Celestial, que é todo amor e misericórdia, lançaria um de seus filhos no inferno, por toda a eternidade? Deus não é o absurdo. A Palavra de Deus é a luz que nos afasta do inferno e da morte. O Senhor é a Luz do mundo!

xCIÊNCIA ETERNAx
Conheça os fundamentos.

Se você recebeu bem os princípios anunciados no Portal Meu Povo, inscreva-se para ter acesso a estudos, pregações e eventos.

Ciência Eterna
Voltar para o conteúdo