Os Céus - Cristãos e Judeus - Unificação - Ciência Eterna

Unificação da Casa de Israel
(Ezequiel 37.21)
Ir para o conteúdo

Os Céus

PRINCÍPIOS
CÉUS da Eternidade
Os céus da eternidade são os pilares que sustentam o Universo visível. É onde transitam as almas dos que foram salvos pela misericórdia Divina, em intervalos existenciais. Todos os seres vivos são dotados de almas, segundo a categoria a que pertençam. Ao morrerem, suas almas passam certo tempo nos céus da Eternidade, até que o Criador lhes determine uma nova vida. É assim com o homem, com os animais, insetos, plantas e demais seres vivos. Nessas regiões invisíveis da Criação, também habitam os seres incorpóreos chamados anjos, arcanjos, serafins e espíritos.

Paulo, o apóstolo dos gentios, foi arrebatado em espírito, ao terceiro céu, de onde conclui-se que haveria outros céus. Quantos seriam? A numerologia judaica nos fala de 7 céus. A revelação do Apóstolo é significativa e confirma o princípio de que a Criação de Deus se compõe de uma região visível e outras invisíveis, sobrepostas ou interpostas. Há uma relação entre elas? As Escrituras indicam que sim!

As almas que já atingiram o reino da Luz habitam nessas regiões invisíveis da Criação. Enquanto não voltam a nascer, servem ao Deus Altíssimo, à semelhança dos anjos. Portanto, não há vida ociosa nos céus da eternidade, nem eterna contemplação, mas vivências de ocupação, trabalho e iluminação das consciências no despertar para o Eterno Deus.

Após a morte física, as almas não permanecem para sempre nos céus da Eternidade. Nascem novamente, animando outros personagens, obedecendo ao grande projeto do Eterno Deus, para a construção do futuro da humanidade. A alma avança constantemente em direção à Luz, tendo sua consciência melhorada a cada existência terrena e intervalos nos céus Eternos.

Logo depois da crise do Juízo Final o mundo será transformado numa nova terra, mas o planeta será o mesmo. Os céus, em torno do mundo, também serão mudados em suas atividades, pois acompanham o evolver do plano visível. Conhecida é a passagem em que a profecia diz que o céu se retirou como um livro que se enrola (Apocalipse 6.14), mostrando as futuras mudanças.

Concebemos a existência dos 7 céus. São 7 os planos existenciais, sendo o Universo visível, o 7º deles. Na concepção tradicional, haveria o mundo visível e 7 céus acima dele, começando pelo 1º, terminando no 7º. Entendemos no sentido inverso: o 1º céu, é o lugar onde está o trono de Deus, o Verbo, de onde a Criação se propaga e sustenta. A região visível seria o 7º plano, onde está a obra maravilhosa do Criador, em constante transformação. Após o trono de Deus (1º Céu), está a morada do Eterno, lugar inacessível ao homem, às concepções, às almas e a tudo o que é de natureza criada.

xCIÊNCIA ETERNAx
Conheça os fundamentos.

Se você recebeu bem os princípios anunciados no Portal Meu Povo, inscreva-se para ter acesso a estudos, pregações e eventos.

Ciência Eterna
Voltar para o conteúdo